Inverso

Quando eu era criança, não tinha dúvidas de que as pessoas e as circunstâncias durariam para sempre.

Ao chegar na adolescência, eu já sabia que as pessoas e as circunstâncias não permanecem por muito tempo.

A despeito disso, imaginei caminhos e me iludi com destinos, contando que a mera imaginação me levaria até lá.

Quando jovem adulto, percebi que precisava muito mais que imaginação para realizar meus sonhos.

Adulto, ainda vislumbrava caminhos e esboçava destinos, mesmo sabendo o quanto do amanhã me escapava.

Hoje, ao presenciar a morte de uma jovem menina, aprendi com ela o exato contrário.

É o inverso.

Já estou no destino porque já vivi até aqui e se daqui houver mais, já cheguei também.

A vida é aqui, este presente pulsante e a cada pulsar um privilégio de Deus.

E Deus não me deve mais amanhã, nem poderia me dever o que Ele mesmo já deu.

Me deu por sua graça, até o presente momento.

Se houver mais presente, é presente Dele.

E se não houver, Adeus!

Eu inverti.

Cheguei.

Em memória de Ana Carolina Galdino

Arte – Mãos desenhando-se – Por M.C.Escher

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *